Radioescuta 05/02/2017 em Santo Antônio de Posse

Olá pessoal, atendendo a pedidos de diversos seguidores, decidi registrar as atividades de radioescuta realizadas na tarde de 05/02/2017.

Escolhi um QTH, que no “passado” os níveis de ruído eram praticamente nulos, sem contar a vista privilegiada da cidade.

Decepção à primeira vista, nos tempos atuais encontrar lugares imunes à ruídos próximos a cidade é praticamente impossível. Com o advento da banda larga utilizando equipamentos sem fio, é possível notar-se que em qualquer parte alta aos arredores da cidade, existem centenas de aparatos, operando nas mais diversificadas frequências.

O horário selecionado para escuta ocorreu entre 17:00 às 18:00hs, período do qual grande parte das emissoras de broadcast, realizam suas transmissões destinadas a outros continentes. Por questões de segurança, e por se tratar de um local ermo, decidi não estender as atividades para o período noturno.

Imagem de satélite do local utilizado para radioescuta

Equipamentos Utilizados

Desta vez optei por um setup simples, com intuito focado em agilidade, tanto para montar os equipamentos, como para desmontar. Em locais desertos é sempre bom estar esperto para derrubar acampamento e partir, por isso não utilizei a tecnologia SDR.

  • Rádio Degen DE1103
  • Antena ativa DE31MS
  • Antena LongWire 5 Metros

Relação das escutas

Segue abaixo um breve resumo das escutas realizadas, as mesmas estarão disponíveis em vídeo.

Frequência Emissora Local Potência kW
60 metros
5.235 KHz Não Identificada Não identificada N/D
49 metros
5.940 KHz Voz Missionária Camburiu – SC 0.5 kW
6.010 KHz Rádio Inconfidência Belo Horizonte – MG 5 kW
6.040 KHz Rádio RB2 Curitiba – PR 10 kW
6.060 KHz S. Rádio Deus é Amor Curitiba – PR 15 kW
6.080 KHz Rádio Maromby Curitiba – PR 10 kW
6.090 KHz Rádio Bandeirantes São Paulo – SP 10 kW
6.135 KHz Rádio Aparecida Aparecida – SP 25 kW
6.453 KHz Pactor 1
Marinha do Brasil
Não identificado N/D
41 metros
7.100 KHz Rodada dos Radioescutas
PY2BJO
São Paulo – SP N/D
7.150 KHz Bate papo nos 40 metros Não identificado N/D
7.335 KHz Radio Algerienne
Chaine 1
Issoudun – França 500 kW
7.350 KHz China Radio International Urumqi – China 500 kW
7.385 KHz PBS Xizang Urumqi – China 500 kW
31 metros
9.390 KHz Radio Thailand – English Não identificado 100 kW
9.410 KHz BBC English Não identificado 250 kW
9.485 KHz NHK World Radio Japan –
English
Não identificado 250 kW
9.615 KHz World Christian
Broadcast KNLS – English
Não identificado 100 kW
9.690 KHz RAE Radio Exterior Argentina Argentina 100 kW
9.725 KHz Rádio RB2 Curitiba – PR 10 kW
9.745 KHz China Radio International –
Spanish Language
Não identificado 500 kW
9.770 KHz Adventist World Radio –
Chinese Language
Não identificado 300 kW
Utilitárias
10.000 KHz Observatório Nacional Rio de Janeiro – RJ 1 kW
25 metros
11.625 KHz Vatican Radio –
French Language
Não identificado 250 kW
11.780 KHz Rádio Nacional da Amazônia Brasília – DF 250 kW
11.895 KHz Rádio L.B.V. Porto Alegre – RS 1 kW
19 metros
15.105 KHz BBC – Australian Não identificado 250 kW
15.400 KHz BBC – English Não identificado 125 kW
15.730 KHz VOA (Voice Of America) –
Language French
Não identificado 100 kW
13 metros
21.675 KHz RMI Radio Africa Não identificado 100 kW

Assistam o vídeo completo, contemplando todas as escutas registradas na tabela acima.

Até a próxima, boas escutas a todos.
Forte 73 de PU2VLW

Anúncios

KG-STV Digital no satélite FltSatCom 8 (Bolinha)

Olá seguidores, conforme mencionei em posts anteriores, constantemente tenho monitorado os transponders lineares do satélite militar FltSatCom 8 (conhecido popularmente como Bolinha).

Na data de 21/06/2015, ao cair da tarde, estava a monitorar a frequência de 252.150 MHz, popularmente conhecida pelo misterioso sinal de SSTV analógico modo BW36, sinal este presente quase todos os dias.

Por volta das 18:00 hs (Horário Local), a portadora analógica contendo o SSTV cessou, e após alguns minutos, pude constatar a presença de um sinal digital.

Brevemente identifiquei se tratar do software KG-STV, do qual utiliza modulação no padrão MSK (Minimum Shift Keying), baseado na variação de frequência para geração dos bits.

MSK - WaterfallIdentificação do sinal digital no waterfall do SDR#

O software KG-STV, no modo MSK, transmite em velocidade de 1200 bauds, utilizando a base do “bit 0” a frequência de 1200 Hz, e base do “bit 1” a frequência de 1800 Hz.

Como sabemos, essas transmissões, são classificadas como misteriosas, ninguém sabe ao certo, de qual país elas são originárias e nem suas finalidades. Se cogita que o autor efetua essas transmissões para seus familiares, que provavelmente residam em outro país.

Durante a recepção ocorreu um fato que me chamou atenção, o software KG-STV, possuí em suas configurações um campo destinado a informação de CALLSIGN (Indicativo de chamada), conforme podemos ver na imagem abaixo.

kg_stv_settings
Ao início da transmissão no modo digital, pode ser ver claramente o indicativo de chamada EA7PP, provindo da Espanha (lembrando a Espanha está sobre o footprint de cobertura do satélite), confira no vídeo abaixo:

ATENÇÃO
O intuito deste post, não direciona acusação ou tem qualquer intenção de prejudicar terceiros e colegas dedicados ao nosso hobby, como o software não solicita nenhuma documentação para efetivar comprovação do callsign, qualquer indicativo de chamada pode ser utilizado, por qualquer pessoa, portanto pode estar sendo usado sem o consentimento de seu detentor.

A transmissão digital, teve duração média de 30 minutos, do qual resultou as imagens exibidas abaixo, logo após cessou, e novamente ocorreu o retorno do formato analógico SSTV modo BW 36.

Imagens capturadas com KG-STV –  21/06/15  | 21:00 UTC

Após essas transmissões, resolvi desenvolver um novo link neste blog, somente para postar as imagens recebidas em SSTV, o mesmo pode ser acessado Galeria SSTV – PU2VLW.

Confiram também nosso post – “Recepção SSTV no satélite FltSatCom 8 (Bolinha)”

73 de PU2VLW.

Vista Aérea da Estação desativada de satélites, Embratel em Morungaba / SP

Olá seguidores, anteriormente redigi um post, sobre a estação terrena de satélites desativada da Embratel, localizada em Morungaba / SP.

Sempre fui apaixonado por antenas, assim como grande parte dos seguidores deste blog.

Meu objetivo era coletar o máximo de informações possíveis, dentre elas a possibilidade de tirar algumas fotos no interior do teleporto. Porém o local possui segurança privada, e em conversa com a segurança a mesma relatou que o acesso ao local está restrito.

Navegando no YouTube, encontrei um renomado trabalho da empresa AeroKapture.com, eles trabalham com capturas de imagens aéreas em alta definição.

Brevemente solicitei permissão para publicação deste valioso trabalho, e fui prontamente atendido pelo pessoal da AeroKapture.com.

Assistam o vídeo, pois talvez seja a única oportunidade de ver este antigo teleporto por dentro.

Créditos: AeroKapture.com

Testando padrão de rádio digital DRM com Ataliba PP5AZF

Olá amigos, venho através deste post divulgar os resultados dos testes realizados juntamente ao amigo Ataliba Zandomenego Filho PP5AZF, pioneiro na tecnologia DRM (Digital Radio Mondiale) no Brasil, idealizador e mantenedor do grupo DRM-Brasil.

O Brasil ainda caminha em busca de um padrão flexível e sustentável para digitalização de emissoras de rádio, assim como no passado ocorreu o processo de adoção do DTV ISDB-T  (Sistema de TV Digital) .

Atualmente, existem 3 padrões disponíveis no mercado, mais a discussão de implementação no Brasil engloba somente dois padrões, DRM e IBOC HDRadio.

  • DAB+ (Digital Audio Broadcasting) – Padrão adotado por algumas emissoras europeias, até o momento não cogitado sua implementação no Brasil.
  • DRM (Digital Radio Mondiale) – Padrão adotado pelas emissoras europeias.
  • IBOC HDRadio – Padrão adotado pelas emissoras americanas.

Dentre as plataformas citadas acima, preso total apoio a tecnologia DRM, pois este padrão nasceu através de um consórcio formado por emissoras interessadas na digitalização do rádio, tornando-se uma plataforma aberta, livre e flexível, facilitando a construção de equipamentos e softwares para decodificação do sinal, além dos softwares grátis, já existentes que possibilitam ouvir DRM com um simples computador e um SDR (Rádio Definido por Software).

Em contra partida a plataforma IBOC HDRadio, é um sistema proprietário e fechado, tanto as emissoras, quanto os fabricantes de equipamentos de rádio, deverão contribuir com os royalties junto a empresa norte americana Ibiquity, detentora da plataforma, o que implicaria aumento no custo destes equipamentos, outro ponto desfavorável é que não é possível flexibilizar ou adaptar o sistema.
Projetos baseados nesta arquitetura, existem riscos de ficarmos literalmente “acorrentados” a empresa detentora.

Migração das emissoras AM para FM VHF x DRM

A presidenta Dilma Rousseff em 2013, assinou um decreto redigido pelo Ministério das Telecomunicações, solicitando aprovação para a migração das emissoras de Ondas Médias AM, para faixa de FM entre (76.1 MHz ~ 87.5 MHz), atualmente em uso pela TV Analógica VHF.

O decreto salienta que tais emissoras, possuem altos custos operacionais e quedas substanciais de ouvintes conforme a evolução dos anos, gerando altos índices de prejuízos. Isso ocorre por vários fatores, o principal deles são as interferências eletromagnéticas geradas por equipamentos eletrônicos de má qualidade, cada vez mais presentes nos centros urbanos.

Existem alguns tópicos, que mantém a migração na contra mão da evolução tecnológica:

  • Existência consolidada de canais da TV Analógica em algumas cidades do interior.
  • Alcance reduzido do FM (Frequência Modulada), se comparado ao AM (Amplitude Modulada).
  • Para se obter bom desempenho em FM, é necessário instalar os transmissores e antenas em altos de montanhas, que em sua maioria não possuem infraestrutura dimensionada para receber o parque de transmissão (energia elétrica estável, telefonia, internet…) .
  • A grande maioria dos receptores existentes no Brasil, não possuem recepção na faixa destinada pelo decreto, que está estipulada entre (76.1 MHz ~ 87.5 MHz). Atualmente os receptores iniciam em 87.5 MHz.
  • Outro impacto substancial é a abrangência a locais remotos, do qual a maioria dos casos o rádio AM é o único meio de comunicação existente. (“Em pleno século 21 isso ainda existe. Quem discordar de minha opinião, basta sintonizar a Rádio Nacional da Amazônia em 11.780 KHz, durante as programação diária, é notória a quantidade de avisos a pessoas que habitam locais remotos“).

A plataforma DRM, poderia ser implantada como piloto de testes, já que a intenção é inovar, que seja para um modo digital, mantendo a estrutura já existente pela emissora, que necessitará somente de alguns ajustes no transmissor.

“Assim teríamos o melhor de 2 mundos, rádio com qualidade digital e alcance favorável.”

Testes realizados com Ataliba PP5AZF

Neste teste várias configurações foram utilizadas, variações de potência e alterações nas características de bit-rate e codec, algo que nos surpreendeu foi a capacidade de decodificação com SNR (Relação Sinal / Ruído), abaixo do valor estipulado no bit-rate, e com apenas 100 watts, foi possível transmitir 17.98 kbps UEP AAC+ com qualidade Stereo, fica visível o poder da plataforma DRM, confiram o vídeo abaixo:

 

Estatísticas baseadas nos sinais recebidos e decodificados

Segue abaixo estatísticas extraídas utilizando o software DRM-Log Plotter.

Segue abaixo o link para download das Basebands (“Banda Base do espectro durante a recepção”),  através delas é possível realizar o reprocessamento dos dados.

Também poderão ser utilizadas como material de estudo da plataforma ou procedimentos de configuração e preparação para decodificação do sinal DRM, já que atualmente está dificultoso encontrar transmissões com sinais favoráveis destinadas a nosso continente.

donwload-icon donwload-icon donwload-icon donwload-icon
9.16 kbps – AAC
Mono (274 mb)
11.58 kbps – AAC
Mono (80 mb)
14.78 kbps – AAC
Mono (173 mb)
17.98 kbps – AAC+
P. Stereo (199 mb)

Espero que tenham gostado, pois todo conteúdo deste post, nasceu em nosso grupo “SDR Brasil” no WhatsApp, caso queiram participar do grupo envie seu contato, pelos comentários.

Veja também alguns posts que demonstro a recepção da rádio RNZI utilizando o padrão DRM.

https://pu2vlw.wordpress.com/2013/09/15/recepcao-drm-radio-rnzi-new-zealand-11-765-khz/
https://pu2vlw.wordpress.com/2013/09/10/recepcao-drm-radio-rnzi-new-zealand/

73 de PU2VLW.

ISS inicia transmissões em DATV no padrão DVB-S

No último dia 06/03/2014 por volta das 10:00 UTC, foi instalado no módulo Columbus da Estação Espacial Internacional (ISS), um módulo de DATV (Digital Amateur Television).

O módulo foi ligado brevemente para testes, e todos os led’s informaram seu funcionamento nominal, sendo assim o mesmo está pronto para uso.

ATV ISSPainel do módulo de ATV instalado na ISS

A primeira etapa de testes ocorreu no dia 08/03/2014, iniciando os testes com o prefixo OR4ISS, o transmissor de vídeo foi ligado com a seguinte configuração.

  • Utilizada a antena 41 da ARISS
  • Frequência: 2.422 GHz
  • Symbol Rate (1,3 Ms/s)

Esta transmissão ocorreu sobre a passagem da ISS pela Europa Ocidental por volta de 13:27 UTC.

Por volta de 13:29 UTC a estação oficial em terra recebeu os sinais e transmitiu-os para web através do site batc.tv, que atualmente pode ser visualizado os 4 canais disponíveis (ISS1,ISS2,ISS3,ISS4).

Vale salientar que o canal ISS4, será transmitido pela estação IK1SLD, que está localizada ao norte da Itália.

Como reportado pela AMSAT italiana, qualquer estação amadora que possua uma Antena, um LNB Banda – S (2.3 ~ 2.7 – L.O. 3650 MHz), um receptor comum capaz de receber sinais no padrão DVB-S e uma tv convencional, podem copiar os sinais transmitidos pela ISS, conforme esquema abaixo.

DVB ISS

Durante as passagens da ISS diversas configurações serão testadas, o sinal de DATV está presente 24 horas em funcionamento, porém a câmera não estará ligada permanentemente, devido ao sistema das mesmas serem alimentadas por pilhas e não são previstas substituições frequentes.

Quando as câmeras estiverem desligadas, será transmitido uma imagem em branco chamada de “blank mode”.

As recepções em “branco” podem ser relatadas em:
http://www.spaceflightsoftware.com/ARISS_FSTV/submit.php

O módulo foi instalado com intuito do programa de educação espacial, que visa prover comunicação entre alunos e instituições de ensino com a ISS, através do intermédio de radioamadores devidamente licenciados.

Com essa nova modalidade do DATV, os alunos podem efetuar os chamados via VHF, já utilizado atualmente e visualizar em tempo real, o que está ocorrendo na estação espacial internacional, durante o processo de passagem.

Veja o vídeo dos testes de recepção realizados:

Gostaria muito de participar desse experimento, porém atualmente não disponho de condições financeiras para adquirir um LNB Banda – S, e também não sei ao certo quanto tempo o experimento ficará ativo na ISS.
Caso algum radioamador disponha do equipamento, (ou até uma compra conjunta), e quiser realizar experimentações, entre em contato pois ficarei muito grato em participar.

Inclusive localizei um fornecedor Chinês, que dispõe do fornecimento de uma única peça, pois geralmente nas pesquisas só vão encontrar solicitações de produção em alta escala.

73 de PU2VLW